DO CAD AO BIM, COMO CHEGAMOS ATÉ AQUI?


O que é esse tal de BIM?


O BIM - Building Information Modeling ou Modelagem da Informação da Construção - é uma metodologia de trabalho na qual utilizamos a modelagem tridimensional agregada a diversas informações com o intuito de simular virtualmente a construção dos empreendimentos.


Segundo Eastman et al. (2011) o termo Building Information Modeling (BIM) foi criado pela Autodesk , em 1992, como forma de impulsionar o marketing do seu novo produto, o Revit. Embora já existissem na época outros softwares, como o ArchiCAD e o Allplan, que trabalhavam com uma metodologia similar, foi a Autodesk quem fixou essa terminologia no mercado.


Vamos ver como chegamos até o BIM?


Na história da construção civil podemos ver a evolução dos projetos, que inicialmente eram desenhados com nanquim em folhas de papel vegetal, que possuem grande resistência ao tempo.



O armazenamento dos projetos originais ocupa muito espaço, pois são necessários armários especiais chamados de mapotecas, nos quais as folhas de papel vegetal são armazenadas na horizontal ou na vertical sem dobras, pois estas podem estragar os papéis com o tempo. Além disso, todos os projetos devem ser armazenados de maneira organizada e catalogada, a fim de poder encontrá-los facilmente quando necessário. Atualmente, ainda existem muitos projetos guardados neste formato.



Além desta dificuldade de armazenamento, nesta época os projetos precisavam ser muito bem pensados antes de serem lançados no papel definitivo, pois era muito difícil corrigi-los posteriormente. Por isso, vários rascunhos eram feitos e analisados por diferentes especialistas, antes do projeto final ser elaborado.

Em 1982, a Autodesk lançou o AutoCAD, que revolucionou a maneira como os projetos eram elaborados. Como foi criado para substituir o papel, o CAD (Computer Aided Design ou Desenho Assistido por Computador) é uma ferramenta de desenho, com a qual podemos desenhar no computador linhas, figuras geométricas e padrões de preenchimentos (hachuras) que irão representar o projeto que será executado.


Com isso, os desenhos em papel foram substituídos por desenhos digitais, e a indústria da construção civil passou a ter mais liberdade para modificar os projetos até chegar na versão final que seria executada.



Com a evolução do CAD passou a ser possível também elaborar modelos 3D a partir desta ferramenta, entretanto estes modelos criados são apenas representações de massas (sem diferenciação de materiais ou elementos) e a modificação de um modelo 3D não será automaticamente replicada a todos os desenhos que compõem o projeto.


Mesmo tendo esta evolução, com o CAD ainda é necessário que diversos desenhos 2D sejam sobrepostos a fim de entender o projeto como um todo. Isto se mostra uma dificuldade tanto para projetistas, quanto no canteiro de obras quando tratamos de projetos complexos, com diferentes disciplinas que se interligam.


Para os projetistas, realizar a compatibilização das diferentes disciplinas se torna difícil, e algumas interferências entre tubulações, canos, dutos e estruturas só são observadas na hora da execução destes projetos. Além disso, muitas vezes no canteiro de obras, os responsáveis pela execução têm dificuldades de entender estes projetos, o que ocasiona falhas na execução e retrabalhos que não agregam valor ao empreendimento.


Então, em 1992, surgiu o termo Building Information Modeling (BIM), como sendo uma nova maneira de projetar. A possibilidade de simularmos as obras antes de estas serem executadas nos lembra da importância de focarmos mais tempo projetando para que possamos executar em um tempo menor, com menos retrabalho e desperdícios de mão-de-obra.


Devido a este contexto, muitas pessoas ao terem o primeiro contato com o BIM, se confundem e acreditam que essa metodologia se refere apenas à softwares. Por isso, neste artigo vamos desmistificar esse conceito e te mostrar tudo o que envolve o mundo do BIM.